segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Esvaia



Fúlgida,
Fausta,
minha franca flor...
Repleta de sol,
Cheira a amor...

O fogo que dela floresce,
Nela, tua rocha se acende

Aquele, que de nós mais compreende,
menos obedece...

* foto retirada da net

1 comentário:

VÓNY FERREIRA disse...

A poesia descrita ao mais alto
nível com a sensualidade habitual.
Lindo, Luísa!
Vóny Ferreira